• Histórias Estranhas
  • A Quarta Dimensão
  • Adolpho Werneck - Vida e Obra
  • Arquivos de Guerra
  • Escravos dos Sentidos

16 de maio de 2018

Minha letra para Misirlou


Sou fascinado pela trajetória da música Misirlou. 

"Misirlou" significa "egípcia", e é uma música de origens tradicionais no Oriente Médio. 
Harmonicamente ela é muito simples, soando como a chamada escala harmônica dupla maior, bizantina, árabe ou cigana maior com alguma variação.

A primeira gravação conhecida, no estilo grego rebetiko, foi de Tetos Demetriades, de 1927, com a letra em grego.

Em 1941, Nick Roubanis lançou a música em arranjo de jazz instrumental, colocando-se como compositor, o que não foi contestado até hoje. Depois a música ganhou letra em inglês escrita por Milton Leeds, Bob Russell e Fred Wise, nomes que usualmente constam ao lado do de Roubanis nos créditos da música. Ouça a letra nesta versão também de 1941 de Woody Herman & His Orchestra.


Em 1942, Edo Ljubic lançou uma versão com letra em croata.

Em 1943, Miriam Kressyn escreveu letras em iídiche (veja nesta versão de Seymour Rexite).

Em 1944, Clovis El-Hajj lançou a música com o título "Ya Amal", com letra em árabe.

Em 1946, a gravação de Jan August, o "dueto de piano de um homem só", chegou à 7ª posição da Billboard, a maior alcançada nos Estados Unidos.

Em 1958, Dario Moreno lançou uma gravação com letra em francês.


Em 1962, verdadeiro divisor de águas na história de Misirlou, um músico chamado Richard Anthony Mansour, descendente de libaneses por parte de pai, lançou um arranjo de rock instrumental para guitarra com sua banda. Você deve conhecê-lo melhor por seu nome artístico: Dick Dale & His Del-Tones, que tornaram a música um clássico da surf guitar. Em 1994 a versão foi ressuscitada por Tarantino em Pulp Fiction.

Em 1963, Chubby Checker lançou uma versão à sua moda com letra em inglês. No mesmo ano, saiu a versão instrumental dos Beach Boys

Em 1967, o gênio brasileiro Laurindo Almeida lançou sua versão bossa nova no álbum Acapulco '22. No mesmo ano, The Devil's Anvil soltou uma versão rock com nova letra em inglês, e "Missirlú", uma versão com letra em italiano por Gino e Dorine.



Em 1979, Paul Baghdadlian lançou versão intitulada "Anoush Yar" com letra em armênio.

Em 1982, a banda Agent Orange soltou uma versão punk-rock.

A música foi gravada nos mais variados estilos e gêneros: rebetiko, klezmer, latina, jazz, bossa nova, exotica, surf guitar, disco, punk-rock, ska, e recentemente, bastante sampleada, como famosamente em "Pump It" do Black Eyed Peas (2006).

Mas depois de ver as letras em grego, iídiche, árabe, as duas em inglês, ladino, turco, croata, sérvio, armênio, francês, espanhol e italiano, não achei uma letra em português.

Resolvi então escrever uma própria. Tentei me basear na original grega e na primeira em inglês, além de incorporar algo das outras, e tentar dar um toque próprio.

Ela funciona bem com a versão hit de Jan August:
Por um deserto sombrio, meu coração
Entristecido em peregrina solidão
Encantado pela chama do teu olhar
Para o mel de teus lábios me alimentar

Ah, Misirlou, ao te encontrar me perdi
Não há destino que não leva a você
Em teus negros cabelos quero viver

Sonho apenas com você a dançar
Princesa do Egito, quero te sequestrar
Surdo a quem diz que esse amor não era pra ser
Plantemos um beijo e deixemos florescer