• Histórias Estranhas
  • A Quarta Dimensão
  • Adolpho Werneck - Vida e Obra
  • Arquivos de Guerra

24 de julho de 2010

Frases latinas sobre o Tempo

Mais do que ad infinitum, ex tempore e in memoriam, segue uma lista de expressões latinas referentes ao tempo, com uma breve explicação de sua curiosidade.

a Deucalione. "Desde Deucalião", significando "há muito tempo atrás". Na mitologia grega, Zeus enfurece-se com os Pelasgos  e resolve destruir a humanidade com um dilúvio. Avisado pelo pai Prometeu, Deucalião e sua esposa Pirra constróem uma arca e sobrevivem. Fazendo oferendas no Oráculo de Têmis, são instruídos a "jogar os ossos de sua mãe por cima dos ombros" para fazer a humanidade ressurgir. Como a mãe de tudo é a Terra, o casal joga pedras: as de Deucalião tornam-se homens e as de Pirra, mulheres. Deucalião é figura equivalente ao Noé bíblico, como os mesopotâmicos Ziudsura, Atrahasis e Utnapishtim antes deles.
ab urbe condita ou anno urbis conditae. "Desde a cidade fundada" ou "Ano de fundação da cidade", para marcar datas em relação à fundação de Roma em 753 AEC.
ad kalendas graecas. "Nas calendas gregas". A calenda era o primeiro dia do mês para os romanos, e é a origem da palavra "calendário". Mas os gregos não tinham calendas, assim o termo equivale a dizer "No dia de São Nunca".
ad multos annos! "Por muitos anos!", como desejo de longa vida.
ad perpetuam rei memoriam. "Pela perpétua memória da coisa". Empregado em bulas papais contendo doutrina, inscrições comemorativas e em procedimentos probatórios jurídicos para indicar informações que devem ser lembrados ou guardados para o futuro.
amor fati. "Amor ao destino". Frase cunhada pelo filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900) e explicada por ele em sua obra Ecce Homo (1888): "Minha fórmula para a grandeza num ser humano é amor fati: que queira nada diferente, no futuro, no passado, em toda a eternidade. Não apenas suportar o que é inevitável, muito menos ocultá-lo -- todo idealismo é falsidade na face do que é inevitável -- mas amá-lo". Opõe-se à noção da frase memento mori.
annus mirabilis. "Ano maravilhoso". Empregado em referência ao ano de 1666, em que o cientista inglês Isaac Newton (1643-1727) fez descobertas influentes sobre temas diversos como gravitação, ótica, cálculo e movimento. Desde então é reutilizado em alusão a descobertas proporcionais, como as de 1905 pelo cientista alemão Albert Einstein (1879-1955).
annus terribilis. "Ano terrível". O ano de 1348, em que a Peste Negra começou na Europa.
ars longa, vita brevis. "A arte é longa, a vida breve". Usada fora de contexto para exaltar a expressão artística, a frase na verdade inicia um aforisma de Hipócrates: Ars longa, vita brevis, occasio praeceps, experimentum periculosum, iudicium difficile. "A arte é longa, a vida breve, a oportunidade fugidia, o experimento perigoso, o juízo difícil", referindo-se à arte da qual é considerada o pai, a medicina, para cujo entendimento a vida parece breve.
carpe diem. A famosa frase traduz-se literalmente para "colha o dia", como se colhem flores. 
A exortação para aproveitar o presente é do poeta romano Horácio (65-8 AEC), constando no livro primeiro de suas Odes, destinado a uma mulher que preocupa-se com o futuro. Minha tradução do trecho inteiro é: 

Não pergunte, saber é proibido, qual o meu, qual o seu
fim dado pelos deuses, Leuconoe, nem os (adivinhos) Babilônios
provoque por números. É melhor, o que quer que tenha sido, suporte.
Se (forem) muitos invernos ou se te conceder Júpiter o último,
que agora choca-se debilitado contra as rochas do mar
Tirreno: torne-se sábio, beba vinho e em um espaço breve
contenha uma longa espera. Enquanto falamos, fugidia a vida
é: colha o dia com a mínima crença no seguinte.

contemptus saeculi. "Desprezo pelos séculos", significando "rejeição ao secular" em alusão à vida monástica. A palavra "secular", tendo "temporal" como equivalente, refere-se ao que diz respeito ao nosso século ou tempo, oposto à religião fundada em tradições passadas e elucubrações sobre o pós-vida.
cras amet qui nunquam amavit quique amavit, cras amet. "Amanhã ame quem nunca amou; quem amou, ame amanhã". De Pervigilium Veneris, "Vigília de Vênus", um poema de autoria incerta que descreve o despertar da natureza através da deusa romana do amor e da beleza.
damnatio memoriae. "Danação da memória", pena romana imposta a traidores e outros criminosos que consistia na eliminação de todos os registros da existência da pessoa.
dies irae. "Dia da ira". Na escatologia cristã, refere-se ao Dia do Juízo Final, em que Deus manifestará sua ira. É também o nome de um hino atribuído a Tomás de Celano (1200-1260/70), que tornou-se a Sequência da Missa dos Mortos, ou Réquiem, da Igreja Católica.
disce quasi semper victurus vive quasi cras moriturus. "Aprenda como se fosse viver para sempre, viva como se fosse morrer amanhã". Atribuída a São Edmundo Rich (1175-1240).
esto perpetua. "Seja perpétua". Em seu leito de morte, o canonista e historiador veneziano Fra Paolo Sarpi (1552-1623) ditou três cartas e disse a frase como suas últimas palavras, dirigida à cidade que amou e à qual dedicou a vida.
gutta cavat lapidem. "Gotas cavam pedra". A origem de nossa expressão "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura" está no quarto livro da Epistulae ex Ponto (do poeta romano Ovídio (43 AEC-17/18 EC).
haec olim meminisse iuvabit. "Isto um dia será lembrado com prazer", equivalendo ao nosso "um dia vamos olhar para trás e rir disso tudo". A frase é da Eneida do poeta romano Virgílio (70-19 AEC).
historia vitae magistra. "A História é mestra da vida". Frase do político romano Cícero (106-43 AEC).
horas non numero nisi serenas. "Horas não conto, a não ser que sejam ensolaradas". Inscrição de relógios de sol.
Idus Martiae. "Idos de Março". O "ido" no calendário romano era o dia da lua cheia, no meio do mês. No ido de março de 44 AEC, o imperador Júlio César foi morto a facadas por notória conspiração de que participou seu protegido Brutus, alvo da expressão et tu, Brutus, "e você, Brutus". A expressão Idus Martiae, assim, é usada para evocar desgraça iminente.
laudator temporis acti. "Louvador do tempo passado". Diz-se daqueles que se apegam aos valores de épocas passadas. Frase de Horácio, em sua Ars Poetica.
memento mori. "Lembre-se da morte", tema comum da arte cristã e ditado da Ordem dos Trapistas, destinado a evocar a certeza da mortalidade.
mors certa, hora incerta. "A morte é certa, mas sua hora incerta".
o tempora, o mores! "Ó tempos, ó modos!", já lamentava Cícero em sua época.
omnes vulnerant, postuma necat ou omnes feriunt, ultima necat. "Todas ferem, a última mata". Inscrição de relógios.
quo usque tandem? "Até quando?", pergunta de Cícero em Ad Catilinam, dirigida ao conspirador Lúcio Catilina que visava derrubar a República romana.
stat sua cuique dies. "A cada um seu dia", ou seja, "o momento chega para todos". A frase de oportunismo e fatalismo é da Eneida de Virgílio.
tempora mutantur et nos mutamur in illis. "O tempo muda e nós mudamos com ele". Frase que remonta até o filósofo grego Heráclito de Éfeso (535-475 AEC).
tempus edax rerum. "Tempo devorador das coisas". De Ovídio.
tempus fugit e tempus volat hora fugit. "O tempo foge" e "O tempo voa, a hora foge". Inscrições típicas de relógios.
tempus rerum imperator. "Tempo imperador das coisas".
terminat hora diem; terminat auctor opus. "A hora termina o dia; o autor termina a obra". Frase final da peça "Doutor Fausto" (1604), do escritor inglês Christopher Marlowe (1564-1593).
velocius quam asparagi coquantur. "Mais rápido que aspargos cozinhando". Atribuído ao imperador romano Augusto (63 AEC-14 EC).

0 comentários:

Comente...